Circo Spacial fica até final de maio na Zona Norte

Devido ao grande sucesso, o Circo Spacial prorroga temporada na zona norte e comemora o mês do circo em terreno cedido pela Prefeitura de São Paulo. 

No próximo dia 27 de março comemora-se o Dia do Circo,  mãe de todas as artes.  A data é uma homenagem ao nascimento do querido palhaço Piolin, Abelardo Pinto Piolin (1897 – 1973).

foto Paulo Bareta00001Em cartaz com o eletrizante e divertido espetáculo “Elementos”, o circo Spacial tem feito a alegria do público, principalmente da zona norte, desde setembro de 2015.

Montado no terreno cedido pela Prefeitura de São Paulo – numa parceria com o Centro de Memória do Circo – comemora o mês do circo com muito entusiasmo, mas também com sérias preocupações. A falta de mecanismos de políticas públicas complica a vida daqueles que ganham a vida levando alegria ao respeitável público.

O Fomento ao Circo e a falta de terrenos – Para um circense, nada substitui a emoção de ver a lona tomando forma num terreno vazio, a chegada e a movimentação de trailers e carretas, a alegria frenética das crianças, que curiosas, vêem o sonho se transformar na magia do maior espetáculo da Terra.

A conquista de espaços estruturados para os circos na cidade de São Paulo e em outras localidades é uma batalha constante de Marlene Querubin, presidente do Circo Spacial, da UBCI e representante do Circo na Frente Parlamentar em Defesa à Cultura. Além disso, a aprovação da Lei do Fomento ao Circo para o Município de São Paulo é outra reivindicação dos circenses.

“A aprovação do fomento é fundamental para que as companhias de circo do município e também as Itinerantes, possam melhorar a qualidade técnica, a itinerância, produção, escolas de formação, além da pesquisa e memória do circo Paulistano. Só queremos que o circo receba o mesmo tratamento que foi dado ao teatro (fomento 30 milhões anuais).” (Marlene Querubin). Perpetuar a essência da arte circense por gerações é um grande desafio e a união dos profissionais é imprescindível.

Circos e circenses estão cada vez mais organizados e empenhados na busca de soluções. Prova disso foi a segunda edição do Seminário Nacional de Circo Itinerante, realizado em dezembro passado, que, com uma adesão maciça trouxe à tona temas importantíssimos para o futuro do circo no Brasil, como por exemplo, o Projeto de Lei do deputado Jean Wyllys (PL 4968/2013), que entende ser trabalho a participação das crianças nos Circos.Considerando que todo aprendizado da arte sempre se inicia na infância, porque só no circo seria considerado trabalho? Como classificar a atuação de atores mirins no cinema e na TV no Brasil e pelo mundo afora?

Sobre o Circo Spacial – Foi fundado em agosto de 1985 com uma proposta inovadora e futurista acreditando no potencial e no talento de seus artistas. Foi o primeiro circo, inteiramente nacional, de grande porte, criado e dirigido por uma mulher – Marlene Olímpia Querubin – profissional que ingressou no mundo do circo em 1978 e que teve uma formação bem diversificada. Atriz e diretora de teatro, também cursou matemática e engenharia, é poetisa e autora de vários livros de sucesso.

O circo abriu suas cortinas pela primeira vez com uma equipe composta por artistas, parentes, amigos e outros profissionais que acreditaram e se uniram formando assim a grande família Spacial. Além da concepção futurista do espetáculo, é o precursor do chamado circo moderno brasileiro, pioneiro em unir o teatro, dança música e atividade circense.

Circo Spacial - DivulgaçãoA estrutura – Hoje, o Spacial é uma grande empresa com números que impressionam. A pequena cidade é composta por 35 famílias e mais de 100 pessoas que lutam para que o sucesso seja alcançado diariamente. Artistas e funcionários moram em trailers, com mobílias e divisões que compõe uma casa como qualquer outra, com cozinha completa, banheiro, quartos, além de TV a cabo, rede para internet, etc. São 100 toneladas de ferro, alumínio e lona (3 jogos), 22 carretas e caminhões, 3.500 figurinos em seu acervo, com centenas de trocas por sessão. Também possui um espaço multiuso composto por hall de entrada e praça de alimentação e mais uma lona especial onde acontecem os espetáculos, exposições, eventos, treinamentos corporativos e lançamentos de produtos. O grand stand – com capacidade para abrigar até 3 mil espectadores em cadeiras confortáveis – possibilita uma visão privilegiada do espetáculo, em todos os ângulos.

O sucesso – Ao longo dos anos, o Circo Spacial, recebeu o reconhecimento nacional viajando por quase todos os estados do Brasil e foi considerado pela imprensa o “Soleil brasileiro”. O sucesso veio através da conquista de vários troféus e participações em festivais. Muitos de seus artistas ingressaram em circos internacionais (Ringling, Soleil, circos europeus, Arábia Saudita, etc). Pelo seu picadeiro já desfilaram os melhores artistas do mundo e muitos astros e estrelas da TV brasileira. O Spacial é reconhecido nacional e internacionalmente por promover e fomentar a cultura circense tradicional e pedagógica. Comemorou seu jubileu de prata em agosto 2010 com uma grande festa, reunindo várias gerações de artistas, e, em agosto de 2015 brindou seus 30 anos com uma programação especial.

Ficha Técnica (espetáculo “Elementos”)
Direção Geral (Marlene Querubin) | Direção Artística (Margareth Querubin) | Iluminação (Gilberto Querubin) | Sonoplastia (Dieguinho) | Assessoria de Imprensa (Sonia Kessar) | Fotos (Ju Medeiros | Só Boas Novas | Jacson Querubin)

Serviço
Circo Spacial – Travessa Simis, n. 300 c/Av. Moises Rooysen (ao lado do Carrefour do Center Norte) Informações (11) 98234-3381

Temporada até 29 de maio de 2016 | Quintas e sextas às 20h30 / sábados, domingos e feriados às 16h, 18h e 20h30 | Ingressos de 30,00 a 250,00.

Acesso e banheiro adaptados para pessoas com necessidades especiais | Aceita cartão de débito e dinheiro / Estacionamento no local (terceirizado) – R$ 10,00 Venda de ingresso antecipado – todos os dias das 10h às 12h e das 14h às 20h  | www.spacial.com.br / Twitter @circo_spacial / www.facebook.com/circospacial

por Mara Porto – Revista Paulista