InformaSamba prestigia a Velha Guarda de SP

20160401_144837Havia apenas meia dúzia de baquetas, alguns instrumentos – tamborim, pandeiro, caixa, repinique, cuíca e ganzá – um pouco de lantejoula e retalhos de tecidos, isto sem esquecer dos banquinhos, que outrora eram o recepciente exato para réstias de cebolas e suculentas postas de bacalhau.

Junte-se a tudo isto a vontade, a garra e o denõdo de abnegados homens e mulheres de bem, que peremptóriamente teimavam em construir páginas imortais de nossa verdadeira cultura popular o Samba e o Carnaval. “Desbravando os sertões” como dizia o poeta, esta turma enfrentou nuvens carregadas de ódio, rancor e preconceito de todas as espécies antes de fincarem a bandeira altruísta do Samba por estas matas Brasil adentro.

20160401_145246   20160401_145430   20160401_145328

Hoje, mesmo que forma mais suave e velada, ainda tem enfrentado problemas, mas agora por que são, por muitas vezes, resignificaos de “velhos” e “ultrapassados”…..

20160401_145623   20160401_145724   20160401_145735

Pensando contrariamente a tudo isto, é que o InformaSamba, capitaneado pelo jornalista Jornalista Maurício Coutinho e pela produtora de eventos Mara Porto, realizaram no dia 01 de abril de 2016 a primeira edição do Bate-Papo Samba Não Tem Idade, Carnavais de Outrora, nas dependências gentilmente cedidas pelo Creci/Centro de Referência da Cidadania do Idoso, com apoio da Revista Sampa, Carnaval e Turismo de Magno Eduardo De Paula, da produtora cultural Diva Divani Pavesi e da baiana Egle Jurema Freitas.

20160401_150007   20160401_153633   20160401_153922

Com abertura do ballet de dança espanhola da profa. Ilde Gutierrez e dos Seresteiros do Creci do prof. Giuliano del Sole, com marchinas carnavalescas, a mesa de bate-papo teve a presença de Cleuzi Embaixadora, Maria Helena Tom,Duda Ribeiro, Oswaldo Faustino, Arnaldo S. Guedes,Batuqueiro Velho Mi, Mestre Landão (Anderson Balbino), Mestre Bagulé, que contaram e encantaram a todos com suas histórias e vivências.

20160401_143115   20160401_144934   20160401_151747

Para finalizar os debates, a bateria da escola de samba Nenê De Vila Matilde, com a presença do intérprete Agnaldo Amaral, deu o tom do gingado mais prazeroso de nosssa cultura: o samba, que teve ainda os passos suaves do casal de mestre-sala e porta-bandeira mirim da agremiação da Zona Leste.

20160401_170321   20160401_155143   20160401_151935

Entre os cumprimentos finais, destaque para a entrega dos livros “Rio Carnaval” de ofertados por Divani Pavesi para estes baluartes do samba.

20160401_163450   20160401_163416   20160401_163200

Com a promessa da realização mensal deste bate-papo informal, onde são apresentadas histórias e estórias dos Carnavais de Outrora, aguarda-se com expectativa o anúncio da próxima edição em Maio próximo.

20160401_162023   20160401_150104

por Jornalista Maurício Coutinho

Deixe uma resposta