Alice Através do Espelho da Disney no final de maio

Em “Alice Através do Espelho” da Disney, uma nova aventura espetacular com os personagens inesquecíveis das tão amadas histórias de Lewis Carroll, Alice retorna ao fantástico mundo de Wonderland e viaja no tempo para salvar o Chapeleiro Maluco.

2Dirigido por James Bobin, que traz a sua própria visão singular do mundo espetacular que Tim Burton criou para a tela em 2010 com “Alice no País das Maravilhas”, o filme é escrito por Linda Woolverton baseado nos personagens criados por Lewis Carroll e produzido por Joe Roth, Suzanne Todd e Jennifer Todd e Tim Burton com John G. Scotti como produtor executivo.

“Alice Através do Espelho” reúne o elenco de estrelas do fenômeno campeão de vendas mundial, incluindo:  Johnny Depp, Anne Hathaway, Mia Wasikowska e Helena Bonham Carter junto com as vozes de Alan Rickman, Stephen Fry, Michael Sheen e Timothy Spall.

Também vamos conhecer diversos personagens novos: Zanik Hightopp (Rhys Ifans), pai do Chapeleiro Maluco e o Tempo (Sacha Baron Cohen), uma criatura peculiar que é parte humano, parte relógio.  Alice Kingsleigh (Wasikowska) passou os últimos anos seguindo os passos de seu pai e navegando os oceanos. No seu retorno a Londres, ela se depara com um espelho mágico e retorna ao fantástico mundo de Wonderland e seus amigos o Coelho Branco (Sheen), a lagarta Absolem (Rickman), O Gato (Fry) e o Chapeleiro Maluco (Depp), que não é ele mesmo.

image003O Chapeleiro perdeu sua “maluquice”, então Mirana – a Rainha Banca (Hathaway) – envia Alice em uma jornada em busca da Cronosfera, um globo metálico que fica dentro da câmara do Grande Relógio que controla todo o tempo.Retornando ao passado, ela reencontra amigos – e inimigos – em momentos diferentes de suas vidas, e embarca em uma perigosa corrida para salvar o Chapeleiro antes que o tempo se acabe.

Apresentado em Digital 3D™, Real D 3D e IMAX® 3D, “Alice Através do Espelho” da Disney estreia nos cinemas no dia 26 de Maio de 2016.

Revisitando o mundo subterrâneo – “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, cativou leitores no mundo todo quando foi publicado em 1865. Ambientado em um mundo curioso, cheio de personagens incomuns, o livro mudou a paisagem da literatura infantil. O lançamento de “Alice Através do Espelho – E o Que Ela Encontrou Lá” seis anos depois solidificou a reputação de Carroll como um dos escritores mais prolíficos do mundo.

image006A versão animada da Disney de “Alice no País das Maravilhas” chegou aos cinemas em 1951 e apresentou uma nova legião de fãs a engenhosidade e excentricidade da clássica história de Carroll. Em 2010, o filme épico live-action em 3D “Alice no País das Maravilhas”, dirigido por Tim Burton (“Edward Mãos de Tesoura”, “Os Fantasmas se Divertem”), foi lançado e se tornou um campeão de vendas e sensação cultural no mundo todo. Hoje, a história e os personagens são acessórios indeléveis da paisagem da cultura popular e já inspiraram inúmeras adaptações para o cinema, televisão e teatro e deixaram uma marca indelével na moda, música, arte e literatura. Durante anos os produtores de “Alice no País das Maravilhas” falaram sobre um segundo filme, mas sabiam com certeza de uma coisa: o filme não seria uma adaptação direta do segundo livro de Carroll.

image005“O livro ‘Através do Espelho’ é essencialmente um apanhado de episódios bizarros e aleatórios da vida de Carroll que não tem relação nenhuma um com o outro”, explica a produtora Suzanne Todd (filmes do “Austin Powers”, “Amnésia”, “Across the Universe”), “Então tivemos discussões sobre o que seria interessante tematicamente e o que nós queríamos que a história passasse, mas não tínhamos chegado ao ponto certo ainda”.

Linda Woolverton (“A Bela e a Fera”, “O Rei Leão”) estava trabalhando em uma sequência para o seu roteiro de “Alice no País das Maravilhas”, e logo entregou um roteiro inteligente que dava sequência às aventuras dos personagens vibrantes de Carroll e os enchia de imaginação e coragem. Suzanne Todd explica, “Linda escreveu uma nova história contada pelo prisma do livro em relação aos personagens e o que havia acontecido desde a última vez em que os vimos, assim como o que havia ocorrido com eles no passado, e todos adoraram”.

5Fã de longa data do trabalho de Carroll, Johnny Depp ficou satisfeito em ver como Woolverton foi respeitosa com o material. “Editar Lewis Carroll é praticamente impossível”, diz Depp. “Você tem que abordar a história com um ângulo diferente, mas ainda assim mantê-la focada no original, o que Linda fez brilhantemente”.

Quando chegou a hora de encontrar um diretor para assumir o próximo capítulo da história de Alice, os produtores sabiam que tinha de ser alguém especial, já que o padrão estabelecido por Tim Burton no primeiro filme havia sido muito alto. “Todos concordavam que o tom deste novo filme deveria ser um pouco mais leve e mais voltado para a comédia”, diz o produtor Joe Roth (“Malévola”, “Branca de Neve e o Caçador”), “E James Bobin acabou sendo o nosso cara. Ele conhece comédia, adora história e é inteligente, criativo, e o tipo de pessoa que todos querem por perto”.

7Antes mesmo de Bobin (“Os Muppets”) ler o roteiro de Woolverton, ele sabia instintivamente que queria estar envolvido, e rapidamente aceitou participar. “Tenho enorme respeito pelo trabalho do Tim e fiquei empolgado com a perspectiva de pegar elementos de seu filme e leva-los mais adiante apresentando novos personagens, novas ideias e novos mundos”, diz ele.

Em “Alice Através do Espelho” Tim Burton trabalhou na produção. Ele explica, “Como produtor você está lá para dar apoio ao diretor da forma que você puder, mas você segue com a mesma paixão em relação ao projeto”. “Eu realmente gostei do James desde o momento em que nos conhecemos”, continua Burton. “Ele é inteligente, entusiasmado e cheio de energia e tinha uma visão clara em relação a onde queria ir com a história e os personagens, o que foi bom, já que precisávamos de um diretor que pudesse manter o filme semelhante no tom e no visual, mas que também pudesse abordar a história a partir de uma perspectiva diferente, e esse equilíbrio é bastante difícil de ser alcançado”.

6Bobin sempre ficou intrigado com o conceito do tempo e de mudar o passado, assim como todas as questões inerentes a isso, o que acabou se encaixando perfeitamente dentro da estrutura da história de Woolverton.

A roteirista logo entregou um novo rascunho com Tempo sendo um personagem real. “A passagem do tempo é algo que Alice sempre encarou como algo ruim, por que o tempo tirou dela o seu pai quando ela ainda era muito jovem”, diz Bobin. “O que ela aprende nessa história é que o tempo não é seu inimigo, mas algo que pode ser apreciado”.

“James é realmente brilhante”, diz Mia Wasikowska. “Ele pegou o mundo criado por Tim e lhe deu estilo e profundidade de emoções, deixando-o do seu jeito. Ele ama genuinamente a história e forçou para obter uma conexão mais emocional entre todos os personagens.”

Para o papel do Tempo, um ser mágico que senta em um trono negro no castelo da eternidade, Sacha Baron Cohen estava no topo da lista de todos. Com uma mão humana e uma mão mecânica, Tempo é o guardião da Cronosfera, uma esfera metálica giratória brilhante que fica dentro da câmara do Grande Relógio que controla todo o tempo.

Se removida do relógio, a Cronosfera permite ao seu portador viajar pelo Oceano do Tempo em direção ao passado. O ator já havia trabalhado com Bobin, e quando lhe foi enviado o roteiro ele compreendeu exatamente o que os produtores estavam buscando e ele estava à altura do desafio de forma criativa.

image004Descrição dos personagens – Johnny Depp está de volta como Chapeleiro Tarrant Hightopp, mais conhecido como Chapeleiro Maluco. Quando Alice retorna ao Mundo Subterrâneo, ela encontra o Chapeleiro mais maluco que de costume.

Anne Hathaway retorna como Mirana, a gentil e doce Rainha Branca. Ela é a linda irmã mais nova da malvada Rainha Vermelha.

Mia Wasikowska mais uma vez aparece como Alice Kingsleigh, uma jovem voluntariosa criada na Londres Vitoriana, uma sonhadora e não-conformista. Alice viajou ao Mundo Subterrâneo pela primeira vez quando ainda era uma criança, e agora, à medida que chega a idade adulta, luta para tentar equilibrar o senso de curiosidade herdado de seu pai e se adequar às expectativas dos outros.

4Iracebeth, a Rainha Vermelha e antiga governante do Mundo Subterrâneo que governou com tirania, maldade e pavio extremamente curto, é interpretada novamente por Helena Bonham Carter. Iracebeth despreza sua irmã mais nova, Mirana.

Sacha Baron Cohen se une ao elenco como Tempo, um ser mágico que senta em um trono negro no castelo da eternidade. Ele tem uma mão humana e uma mão mecânica e possui a Cronosfera, uma esfera metálica giratória brilhante que fica dentro da câmara do Grande Relógio que controla todo o tempo. Se for removida do relógio, a Cronosfera permitirá à pessoa que a removeu viajar pelo Oceano do Tempo em direção ao passado.

Novo também no elenco está Rhys Ifans como Zanik Hightopp, pai do Chapeleiro Maluco. Ele é muito mais conservador que seu filho, sobre o qual tem expectativas impossivelmente altas. Alan Rickman retorna como a voz de Absolem, a antiga lagarta azul que sabe tudo e é só um pouquinho esnobe.

3Stephen Fry mais uma vez dá a voz a Chessur, o Gato Risonho, um felino astuto propenso a sorrir e desaparecer. Michael Sheen está de volta como a voz de McTwisp, o Coelho Branco, que continua preocupado com a pontualidade.

Matt Lucas retorna como a voz dos Tweedles, os irmãos gêmeos gorduchos que são imaturos e muito frequentemente, incompreensíveis.

Timothy Spall mais uma vez dá voz a Bayard, um cão gigante que costumava servir à Rainha Vermelha, mas que agora é um aliado de Alice e seus amigos. Paul Whitehouse está de volta como a voz de Thackery, a ansiosa e temperamental Lebre de Março, que é anfitrião dos chás do Chapeleiro. Barbara Windsor retorna como a voz do impetuosamente fiel Dormidongo, Mallymkun.

por Maurício Coutinho – Revista Paulista

Deixe uma resposta