Marlene Querubin: Arte & Variedades – 30.05.16

PEPÉ, PALHAÇO DO CIRCO SPACIAL, RUMO AOS EMIRADOS ÁRABES

galeria 3 pepeComediante e palhaço de estilo próprio, capaz de arrancar risadas de plateias de diversos países sem dizer uma palavra, o personagem interpretado pelo paulistano Peterson Jardim, “Pepé, o Perspicaz”, será atração do parque temático da Ferrari em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes, um dos países mais ricos do mundo por uma temporada longa, de um ano.

Ele viaja em 6 de junho, um dia após o encerramento da temporada do Circo Spacial, na Zona Norte de São Paulo: o circo onde Pepé nasceu e cresceu estreia na Zona Sul no dia 10.

Pepé nunca fala em suas performances, sincronizadas com música, efeitos sonoros e visuais. Em contrapartida, interage constantemente com o público, inclusive em suas peças teatrais, como “A mala”, “Um palhaço contra a máfia” e “Quanto mais bagunçado melhor”.

Os vídeos de suas apresentações no Brasil e no exterior mostram espetáculos que surpreendem, incluem ilusionismo e resultam em risos, gargalhadas e aplausos: resultados do um processo de criação humorística que desenvolve desde os 12 anos de idade.

“Eu me pergunto se o que criei vai funcionar hoje, daqui a um ano, ou 10 anos, com todos os tipos de público, e se vai funcionar aqui, no Rio, Jakarta e Paris”.

pepe o perspicazCom 29 anos, ele tem 17 anos de carreira, seis deles dedicados a experiências em picadeiros, cassinos, arenas e teatros internacionais. Pessoa e personagem são muito parecidos, especialmente na excentricidade, afirma o artista, chamado de Pepé por amigos e colegas.
Com espírito crítico apurado, pessoa e personagem são considerados “diferentes”. Do ponto de vista artístico, isso fica claro no perfil do palhaço, que soma elementos de várias escolas à palhaçaria antiga e gera um personagem de identidade própria, que agrada a crianças e adultos.

A chamada “physical comedy”, comédia física, é a principal marca desse estilo. A linguagem muda e o humor inteligente vêm da escola de Charles Chaplin, o “Carlitos”, de Rowan Atkinson, que interpreta Mr. Bean, e da palhaçaria russa. Boinas, vassouras e o improvisado detector de metais de um número hilariante, são elementos do “slapstick” americano, originário do “vaudeville” do século XIX, e que formou as bases da comédia física. “As minhas expressões faciais e dos olhos vêm da comédia dell’arte, o teatro popular da Idade Média”, acrescenta Pepé.

Ele trabalhou quatro anos com o russo, Maks Annaaev, na Academia Brasileira de Circo e nos Estados Unidos. O palhaço russo, explica, é diferente do francês e do americano. “O circo soviético nasceu no século XX e tem um palhaço que reflete a alma russa, seu jeito de pensar e ver a vida, nada florida, colorida”.

Avesso à imagem do palhaço alegre que a indústria cultural criou e adepto da palhaçaria antiga, “antirregras”, ele se apresenta vestido e maquiado de forma sóbria, chamando a plateia para se integrar ao espetáculo, seja em Los Angeles ou São Paulo.

Circo Spacial - DivulgaçãoSERVIÇO
Circo Spacial
Até 06 de junho: Zona norte, Travessa Simis, 300

A partir de 10 de junho:
Zona sul, Av.Atlantica, 2800, Guarapiranga.

Horários: 5as. E 6as às 20h30
sábados, domingos e feriados: 16h, 18h e 20h30.

Ingressos: www.espacial.com.br – 98234-3381
Aceita cartões de crédito e Vale Cultura
Camarote (4 pessoas) R$250,00
Cadeira frontal, inteira R$60,00, e meia, R$30,00
Cadeira central, inteira R$40,00 e meia, R$20,00
Popular inteira R$30,00 e meia, R$15,00.
Estacionamento: R$ 10,00.


Marlene Querubim - 3x4Marlene Querubin
Diretora e fundadora do Circo Spacial
Compositora, Escritora e Poetiza

www.spacial.com.br
spacial@spacial.com.br
Colunista da Revista Paulista – www.revistapaulista.com.br


 

Deixe uma resposta