Fipan no final de julho no Expo Center Norte

Mercados que resistem à crise econômica serão o principal foco dos lançamentos dos expositores da FIPAN 2016 – Feira Internacional da Panificação, Confeitaria e Varejo Independente de Alimentos – que, nesse ano, deve receber mais de 60 mil visitantes.

fipan 3“A panificação está sofrendo com a alta do custo da energia elétrica e da água e, como em quase todos os setores, com a crise que se abateu sobre o Brasil, teve crescimento negativo no ano passado. Em São Paulo, várias panificadoras fecharam e outras passaram por reformas, oferecendo mais produtos e serviços prestados a seus clientes, passando a servir refeições no horário do almoço, rodízio de sopas e pizzas no jantar, além de um café da manhã com várias opções, principalmente nos finais de semana. E toda essa mudança de serviços se reflete nos produtos que as indústrias trarão para a FIPAN 2016, incluindo um espaço especial para pizza”, diz Antero José Pereira, presidente do SAMPAPÃO – sigla que congrega os Sindicato e Associação dos Industriais de Panificação e Confeitaria de São Paulo e o Instituto do Desenvolvimento da Panificação e da Confeitaria de São Paulo, escola técnica que já formou mais de oito mil profissionais no setor –, a entidade promotora do evento.

fipan 2Estagnada desde o ano passado, devido a crise econômica brasileira, a panificação é responsável por 2% do PIB Nacional e, atualmente, os empresários do setor acompanham as tendências do mercado e planejam para os próximos anos, algumas mudanças nas panificadoras. “Já fazemos parte do mercado de food service há anos e queremos incrementar esse serviço nas panificadoras, assim como aumentarmos o serviço de pizza em fatias. Para isso, preparamos espaços especiais tanto o Espaço Pizza Roldão, com palestras e performances, como cursos rápidos , para capacitação profissional, além de doces criativos e pães com alternativas para quem não pode se alimentar com glúten ou pães rústicos de qualidade com fermentação longa, de massa madre”, continua o presidente. 

Segundo ele, na próxima década, o mercado de panificação deve ter quatro tipos de panificadoras. O primeiro deles é a Padaria Gourmet, caracterizadas por mais de 300 m² de loja com amplos serviços e produtos, servindo comida a quilo, oferecendo carta de vinhos aos clientes, cafeteria e lanchonete. O segundo, as panificadoras com espaço entre 100 m² e 300 m² que forneça pães provenientes de uma central de congelamento, com poucos funcionários na produção, responsáveis também pelo preparo de sanduíches, lanches e alguma variedade de pratos servidos a qualquer momento do dia.

A terceira tendência será a de padarias menores que 100 m² — entre 50 e 60 m² — que comercializarão um número grande de pães, todos congelados e pré-assados e finalizados nas padarias. Essas também servirão lanches e cafés. E o quarto tipo será a boulangerie (ou butique de pão), que terá espaço reduzido com vendas de pães especiais com fermentação natural voltada a um público diferenciado.


fipan 1Serviço:

FIPAN 2016
Feira Internacional de Panificação
Confeitaria e Varejo Independente de Alimentos

Dias 26 e 29 de julho – Expo Center Norte
Informações: www.fipan.com.br


Deixe uma resposta