“Bruta Flor” questiona a intolerância e a homofobia

O texto inédito de Vitor de Oliveira e Carlos Fernando Barros tem em seus interpretes um elenco harmonioso e de total entrega teatral.

Na trama, os atores mergulharam sem rede de proteção em um texto denso que trata da homofobia internalizada e sua possível consequência trágica.  A dramaturgia aborda o relacionamento de dois homens, Lucas e Miguel que se encontram presos em um lugar desconhecido e começam a relembrar a trajetória deles, desde a adolescência. Miguel vai estudar em Londres e eles se afastam.

Mais de 10 anos depois, ele volta para o Brasil e reencontra Lucas no metrô. Um reencontro que traz à tona sentimentos que até então desconhecia.

A relação vai ganhando contornos dramáticos
envolvendo a aceitação da homossexualidade.

Para esta temporada no Teatro Augusta, despontam talentos da nova geração do teatro, cinema e da televisão: Fabio Rhoden, que em seu recente trabalho na TV interpretou Marcelo na novela Alto Astral na Tv Globo; Walkiria Ribeiro, que interpretou Maria do Socorro em Máscaras na TV Record e Pedro Lemos, que interpretou Tobias em Chiquititas no SBT.


Serviço:
Bruta Flor
Teatro Augusta
De 31.05 a 09.06

Elenco: Walkiria Ribeiro, Érika Farias,
Pedro Lemos e Fábio Rhoden

De Vitor de Oliveira e Carlos Fernando de Barros
Direção: Marcio Rosario

Ingressos: R$ 70, inteira, R$ 35, meia (c/apres. comprov.)
Horários: Quartas e quintas as 21 horas
Sala Paulo Goulart – 304 lugares
Rua Augusta, 943

Deixe uma resposta