Ana Bittar: Arte Em Desfile – 02.06.17

Sendo descendente de libaneses sempre fui acostumada, (desde os meus cinco ou seis anos e idade) a observar os móveis que decoravam a casa de meus avós.

Alguns com detalhes em marfim, outros com arabescos de madeira multicoloridos, e achava muito normal, pois não havia me dado conta de que se tratava de uma tradição artística milenar.

É impressionante tomarmos ciência de que a criatividade humana que ainda hoje enriquece a mobília contemporânea de muitos países (inclusive o Brasil), teve origem há mais de 3000 anos.

Isso mesmo! 3000 anos é a data aproximada em que foram encontrados vestígios de uma bacia de pedra calcaria da Mesopotâmia, e um outro exemplo é um caixão de madeira da Dinastia Yin, datado de 1300 A.C.

Demonstrando que o pensamento e o desejo de criar um objeto especial levaram a apurar uma técnica que se propagou por muitos anos e em muitos lugares: a Marchetaria.

Porém foram os egípcios que, dominado o uso do cobre confeccionaram serras de bronze para auxiliar no corte preciso para entalhes de madeira destinados ao apliques de pedras preciosas, detalhes em ouro e marfim, e também peças vitrificadas encontrados em ornamentos de tumbas e templos.

Mais tarde com a com a queda do Império Romano a Marchetaria teve seu uso restrito a poucos lugares sendo a região da Toscana onde esta técnica continuou a ser aprimorada com o uso de folhas de madeiras tingidas em lugar das incrustações. Com o passar do tempo cada região aprimorou sua técnica e os desenhos evoluíram tornando-se cada vez mais minuciosos, delicados, criativos e belos, pois começaram a ser desenvolvidos como projetos artísticos, a partir de um desenho base que dava origem a peça final.

A Marchetaria teve um período de decadência, mas com o surgimento da Art Nouveau, aparecem novas criações sendo utilizados como temas pássaros, flores, borboletas, insetos.

Atualmente existem na Europa,  América do Norte e Austrália, muitos ateliês de marchetaria, que tem como objetivo principal  perpetuar as antigas tradições desta arte em madeira, com as mais variadas criações artísticas mas com um toque contemporâneo.

Também encontra-se em franca atividade o restauro de peças antigas, visto que o retrofit de mobiliário antigo continua  em grande evidência, sendo uma tendência mundial onde a marchetaria aparece como um elemento rejuvenescedor destas peças.

Muitas exposições são realizadas trazendo ao público peças inusitadas, nas quais  técnicas milenares desta arte atravessam o tempo e o espaço, tornando sempre atual esta técnica que na verdade existe  por anos, mostrando que a paciência, a criatividade, a imaginação podem juntos criar arte em madeira sem limites.


Ana Bittar
Artista Plástica
Colunista da Revista Paulista – www.revistapaulista.com.br

Instagram:
@anabittaroficial

Contato:
anabittar.artist@gmail.com

Deixe uma resposta